Uma noite de outono.

outonoÉ noite. A chuva escorre decidida pelos poros da cidade. Nós dois também. Deitados no chão do quarto, eu te cubro como a escuridão. Gaia e Urano, sem qualquer espaço entre nós dois. Duas entidades, transformadas em um único ser. Um único cosmo. Eu sinto cada contração do seu corpo tocar o meu. Cada som. Cada calor. Já não reconhecemos mais os nossos limites. O espaço. O tempo. As suas pintas se tornam as minhas. As nossas marcas se tornam as mesmas. Até mesmo as nossas veias. O ar rarefeito do seu desejo se funde ao meu, ecoados entre gritos e silêncios. Nós nos tornamos indivisíveis. A mais perfeita impureza. É noite. A chuva escorre decidida pelos poros da sua amada. Nós também.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s