Quebra Cabeça

 

quebra cabeça

 

São pedaços, pedaços de nós mesmos. Vivemos por ai como peças, mas que não precisamos nos encaixar, precisamos é fazer parte de uma apropriação de um coletivo onde a liberdade e o respeito à mesma seja a canção que conduza a caminhada.

Dos negros aprendi o quanto negro também sou, das putas aprendi o quanto delas também sou. Dos poetas ao silêncio, do jornaleiro à mãe de santo, das angústias aos abandonados pelas ruas, das mulheres às crianças, do espelho no olhar dos idosos ao silêncio. Dos erros, faltas, desistências, dores às incapacidades. São tantas coisas de nós que estão por ai e que ainda não foram desveladas por nós.

Até mesmo o ódio e raiva dizem sobre nós se realmente olharmos além. Hoje vi uma senhora comentando: “Sabe o que me deixa triste? É eu olhar para o meu filho e ver que ele está com cabelos brancos.” O que essa frase diz para você?

Ela falava dela, do filho, do tempo, da finitude, do medo, da solidão, da saudade, do amor, do carinho, da família, da morte, de um laço tão forte que muitos morrerão sem entender o que é isso. Tantas coisas em uma única frase não? Ela falava dela, de mim, de nós.

Certamente ao sair de sua presença já não sou mais o mesmo. Sou outro eu em outro tempo. Tempo este que é uma construção tão subjetiva quanto finita, sem passado ou futuro na medida em que jamais tocaremos o fato passado naquele instante único vivido, ele existiu e somente em seu momento, após isso o passado passa ser apenas uma construção imaginária e emocional do que guardamos dele. Por isso tudo que nos acontece nos atravessa, nos modifica.

Uma pausa, uma pausa foi o que fiz após o que ouvi da senhora citada acima. São tantos eus por ai, por mais tempo que alguém tenha vivido jamais chegará à uma plenitude de conhecimento e sentimentos sobre a vida. É como a água de um rio diriam alguns pensadores, nunca é a mesma gota que passa por ali.

Encontro pessoas ao meu redor, as contemplo. Não sinto tristeza com relação às pessoas amadas e seus cabelos brancos, mas um aperto no peito de uma grande saudade. Eu sei, eles estão ali, logo ali, mas sei que um dia a saudade também estará e eu já serei uma outra pessoa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s