Amor é estar ao lado nos dias ruins.

Amar nas nuvens é fácil. Mas não existe amor que se constrói sem os pés no chão. Onde se encontram as pedras. Os cacos. Onde estão as quinas doloridas. É fácil amar enquanto o belo é belo. Enquanto o sexo é sexo. Enquanto o carinho é dito. Difícil é amar quando o belo se desfaz. Quando o sexo brocha. Quando o carinho é silêncio, escondido entre as dores de cabeça de uma enxaqueca fulminante ou entre as viroses de verão e todos os seus líquidos. Mas, acredite: não existe amor sem nada disso. Amar é estar ao lado nos dias ruins. Na doença dos pais. Nos boletos não pagos. Nos medos de todos nós diante da imensidão do tempo e das ausências de sentido da vida. Isso é amor. Destes que não aparecem nas fotos. Nas declarações. Nas postagens. Porém, amores de verdade. Destes que se encontram na vida. Porque amor de verdade não é paraíso. Amar é saber fazer nascer flor até no meio da merda quente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s