Você tem o direito de recomeçar

direito

A Flor e a Náusea, poema de Carlos Drummond de Andrade, é uma das mais belas obras da literatura brasileira. Todas as suas estrofes estão marcadas pela vontade de viver. O auge é o nascimento de uma flor, que rompe o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio.

A vida quer viver: esse é um direito inalienável de tudo o que está vivo. Assim, nem eu nem você podemos furtar a vontade de alguém existir.

Eu já vi a vida escorrer pelos meus dedos. Cheio de culpas e fracassos, perdi amigos, perdi um casamento, perdi uma carreira. Cheios de ódio, nojo e tédio, tentaram sufocar minha existência. Aceitei a morte enquanto durou a culpa.

Mas a vida quer viver.

Com o tempo, minhas raízes foram se aprofundando para buscar mais nutrientes no solo, para fazer desabrochar as pétalas que insistiam em querer nascer. Então, cercado de pessoas que me foram alimento, fui testemunha da força vital que me fez ressurgir, rompendo o asfalto.

Apesar da dor, dos traumas, dos fracassos, dos dramas, dos medos e das traições, a vida tem o direito de seguir. Você sempre terá o direito de recomeçar e, certamente, romperá asfaltos.

Existem pessoas que são asfalto: a força que sufoca a existência das flores. Existem pessoas que são terra: a força que fornece os nutrientes para a vida prevalecer. Cabe a você decidir que tipo de pessoa quer ser e que tipo de força quer exercer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s