Aproveite o silêncio

 

quiet

 

 

Ela queria ficar em paz. Silenciar a mente como dizem por aí. Fez terapia, ioga, reiki, tomou prozac e passes no centro espírita, até que uma amiga sugeriu meditar. No começo ficou quase ofendida pois era claro que não conseguiria meditar, não conseguia ficar parada e todos aqueles impedimentos que nos paralisam e impedem de nos abrir para o novo. Decidiu ir numa aula de meditação, a voz suave da instrutora preenchendo a tarde morna. E foi assim que descobriu como vivia em contínua desorganização, presa num emaranhado de sensações e sentimentos. Acelerada, os pensamentos ditando o humor.
Percebeu que o tempo todo ouvia música, fora e dentro da cabeça. Precisava disso para fugir, calar as angústias e questionamentos. Além do mais, tudo estava lá, os sentimentos ecoando em meio às canções. Bastava sentar na almofada de meditação e imediatamente o play era acionado. Sua rádio interior começava a tocar e de repente estava longe de si mesma. Ela não queria voltar para dentro, aquela velha proposta da terapia. As músicas impregnavam seus pensamentos, as listas de tarefas e desejos inacabados. O sino tocava e ela parecia ter acabado de fechar os olhos. Em outros momentos mal se sentava e a vontade de sair correndo ou de coçar cada parte do corpo era imperativa. Pensou em desistir diversas vezes, abandonou e retomou a promessa de ano novo outras tantas.
Um dia ela finalmente entrou. Aquietou a mente, fechou os olhos e experimentou a sensação dos tempos de mergulho. Encontrou tristeza. Chorou até formar uma poça de lágrimas, tanto tempo escondidas. Desamparo.
Quando achou que ia desmoronar, os soluços quase atrapalhando a concentração dos outros, mergulhou mais fundo. Tentou se agarrar à respiração conforme as instruções recebidas, mas essa quase havia cessado. E de repente parou. No lugar mais escuro de todos foi onde encontrou o que procurava. O silêncio. Conseguiu ficar bem com ela mesma, num misto de aceitação e alívio. E desde então passou a ouvir música apenas para se divertir.

1 comentário

  1. Adoro a obra da grande Cecília Attux!! Ela me transporta ao meu eu mais profundo despertando imensas reflexões. Parabéns!! Ansiosa por seus livros.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s