Carta para Dolores

Dolores

Há cinco meses você morreu e tinha apenas 46 anos. Ainda tenho vontade de chorar enquanto escrevo essa carta. Você fez parte da minha vida desde os anos 90. Foi a primeira cantora de rock que admirei e tinha uma voz potente e ao mesmo tempo doce. Parecia tão forte, tão determinada e autoconfiante. Você era uma das mulheres que eu mais admirava nesse mundo ainda tão masculino.

Suas músicas me tocavam muito, com temas familiares, de amor e de guerra. Escolhi umas delas para entrar no meu casamento, uma rebeldia de noiva contra a marcha nupcial e afins. “And oh my dreams It’s never quite as it seems”. Você já sabia disso né? Eu ainda não.

O tempo passou, o casamento acabou, as fitas cassetes foram substituídas por cds, ipods, as playlists se modernizaram, mas você sempre esteve comigo. Até que tive a felicidade de assisti-los em 2010. Nesses delírios musicais que me ocorrem durante as experiências catárticas que costumo ter em shows tive certeza que você cantava para mim e foi um dia feliz. Inclusive você parecia feliz, mas quem é capaz de enxergar as tristezas mais profundas que vão corroendo as pessoas por dentro? Um dia você deve ter desistido de viver, se sentindo sufocada. Depressão, transtorno bipolar, abuso sexual, dores na coluna, sensibilidade demais. Não sei se deixou bilhete de despedida ou deu algum sinal. Acredito que planejou estar longe de casa e poupar seus filhos. Hoje sendo mãe penso neles e em todos os filhos cujos pais simplesmente desistiram de viver. Doeu saber da sua morte, e dói ver que quase toda semana lemos notícias de suicídio. Ricos, famosos, muitas vezes jovens, adolescentes, crianças. Como psiquiatra fica a preocupação de lutar todo dia contra as depressões e muitas vezes ser a mão que segura os fios que mantém as pessoas ligadas à vida. Muitas vezes os fios escapam e temos que dizer adeus e conviver com esse pesadelo. Tento entender o que está acontecendo e me preocupo com esse mundo tão cheio de tristeza e vazio de significados. Como chegamos nesse ponto?

Sentirei saudades suas, Dolores. As lágrimas embaçam o texto e molham o teclado. Que você esteja bem. Beijos para o Chris.

Cecília

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s