Se você souber que é isso o que quer,
eu venho todas as noites
e vou embora todas as manhãs.
Tranco a porta atrás de mim,
mas bato a poeira dos sapatos
para que você se lembre de que vivi aqui.

Se você souber que é isso o que quer,
a gente faz do para sempre um hoje
e do não mais o amanhã.
Eu posso vir e ouvir os desenhos na tua pele,
cuidar desses, os que não se calarão.

Porque não houve um só dia em que não falassem
e falando lhe cortassem a carne,
abrindo sulcos que é por onde a humanidade vem.
Porque não houve um só dia em que
também eles não se sentissem assim.

Nós ouvimos o som do canto dos pássaros
e ao anoitecer ouvimos o som do não canto dos pássaros.
Não era só silêncio, havia algo ali também.
Uma parte importante do que mais adiante
bateríamos em nosso peito magro e soletraríamos:
_ L I B E R D A D E.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s