Você já é bonita o suficiente

lucas

 

Escrevo esse texto porque esse perfil tem um grande público feminino. Escrevo
para os homens e para os demais gêneros também, que são a outra parte do
público e igualmente importante – tanto para o perfil quanto para o assunto.
Desde os primórdios, existem registros de como as mulheres se submetem à dor
para alcançarem beleza e ficarem mais atraentes. Ou melhor, são submetidas à dor
por uma cultura de opressão à mulher para o prazer do homem.
Uma pesquisa no Google poderá revelar padrões estéticos dolorosos, dos mais
antigos aos mais modernos, aplicados em mulheres das mais diferentes culturas.
Em Myanmar, mulheres têm argolas de metal anexadas aos seus pescoços, desde
à infância, para que fiquem mais longos e “bonitos”. Os pescoços ficam tão finos e
frágeis que, sem argolas, eles quebram. O método de remoção da argola é usado
em caso de adultério, para assassinar a adultera. Nada parecido acontece aos
homens.
Não é apenas em culturas primitivas que a violência acontece. Em nossa cultura,
mulheres também são submetidas à dor para ficarem mais bonitas e atraentes para
os homens. Dos saltos altos aos mais delicados procedimentos cirúrgicos, a dor
está sempre presente. É o “preço” da beleza.
A exploração da imagem feminina está permeada pela propaganda. Estabelecem-se
padrões altíssimos para a beleza, sustentados perniciosamente pelo Photoshop, e
para o corpo, sustentados pela indústria pornográfica, para que a mulher se sinta
cada vez pior, mais feia e mais gorda, para que consuma mais e mais produtos de
beleza. Assim, elas vão pagar os pecados de sua imperfeição nos templos
modernos, chamados Shopping Center e Clínica de Cirurgia Plástica.
A opressão também emocional. Fazer alguém se sentir mal, inadequada, feia e
gorda, traz consequências graves, como depressão e suicídio. Qualquer um que
compactue com esse sistema de objetificação e idolatria da imagem tem sua
parcela de culpa.
A pergunta é: uma pessoa ligada à aparência e superfície, que exige sacrifícios de
sangue no altar da beleza, merece alguma coisa profunda, que transcenda sua
própria futilidade? A estética é importante, mas mais importante do que ela são
dignidade, respeito e amor.

1 comentário

  1. Queria poder achar seu e-mail pessoal (eu não possuo redes sociais) para lhe dizer o quanto seu texto modificou um sentimento que estou tendo nesse exato momento, o qual não me sinto bem em falar para todos abertamente, porém você tocou algo em mim. Na minha alma. Talvez essa luz tenha vindo no momento certo para que eu não fizesse coisas piores.
    Parabéns pelo texto!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s