Um dia, ela acreditou.

acreditou.pngEle sempre dizia que ela era boa demais para ele. Que não merecia aquelas lágrimas. Os desrespeitos. Cada um de seus deslizes. Ele dizia ter sorte. Uma sorte que não merecia. Infelizmente, uma sorte que também não sabia reconhecer. Aquelas palavras eram vazias, nunca transformadas em gestos. Em atitudes. Em presença. Assim, ele somente dizia. Dizia que ela não merecia aquela solidão. Uma solidão acompanhada. As madrugadas tristes. Cada um de seus descasos. Talvez essa fosse a sua única verdade: ele dizia que ela era boa demais para ele. Um dia, ela acreditou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s