A cidade que mora em mim

 

a_cidade_que_mora_em_mim

 

Tem uma cidade
que mora em mim.

Uma cidade
que não é minha,
mas soube direitinho
me fazer seu.

Eu já saí de lá,
algumas vezes.
Ela, nunca sairá de mim.

Só lá o sol se põe no mar,
feito sereia que canta
para encantar.

Só lá céu e água são um só,
notas de vermelhos e amarelos tão vibrantes
quanto a saudade que me faz
sentir do lado de cá.

É lá que nos dias frios
o vento canta afiado
e a noite vem à tarde,
mensageira que chega mais cedo
anunciando a despedida.

Pequena,
se esparrama pela costa
e invade a encosta.

Gigante,
ocupa meu pensamento
e meu futuro imaginário.

De lá trago os passeios com areia nos pés,
o carinho com cheiro de café,
as janelas floridas que cerram amores,
as minhas inúmeras idas ao porto,
cheio de esperança que o navio parta
sem mim.

De lá carrego as pedras
que moram no meu armário de lembranças
bem de frente para o meu passado,
vivo e vivido em retratos
que sustentam a parede
do meu quarto.

Lá também tem pedras
que hoje cobrem boa parte
do meu passado.

Todo os dias
passo na frente
do meu passado.

Digo bom dia
quando saio
e digo boa noite
quando entro
no meu quarto.

Todos os dias
também digo até logo,
digo que quero ir,
logo,
para a cidade
que mora em mim.

Me espere.

O dia que eu partir
é para ficar
eternamente
na tua memória.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s