É amor, do nosso estranho jeito.

estranhoamorÉ amor. Não importa o que os outros digam, nós dois sabemos bem. Do nosso estranho jeito, em nosso estranho peito, é amor. Calorosa paixão ou o eterno cuidado idolatrado? Para nós, pouco importa. São tolas divisões, incapazes de enxergar tudo o que nós vemos. Incapazes de conter as tantas faces do nosso amor. As mil bocas dos nossos beijos. É o nosso amor, do nosso estranho jeito. Em cada uma das vezes em que você adormece os meus medos. Em cada uma das nossas estranhas conversas, das quais ninguém entende nada. São os nossos segredos. Somos acusados de viver em um mundo tão somente nosso. E por acaso não vivemos? Na sincera impureza do nosso sexo ou na delicada beleza dos nossos passeios? Nós estamos além do tempo. As nossas alianças não são anéis. Nunca foram. Elas estão em nossos dedos. Sempre entrelaçados, mesmo quando ausentes. Eles não nos entendem. Para alguns, parecemos levianos demais. Tão diferentes. Para outros, estamos condenados por sermos intensos. Coitados. Não entendem o quão sincero é o nosso amor. Mesmo do nosso estranho jeito.

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s