Quem vai regar as flores?

Quando à conheci ela era ainda muito jovem. Era forte como uma mãe é, como uma mulher precisa ser. Quando à conheci ela parecia ótima mas me disse que precisava ir frequentemente a um hospital. Alguém havia quebrado seu coração e isso estava fazendo flores nascerem na sua cabeça.
Ela me disse:

– Nos meus olhos e na minha boca, há um perfume que eu não sentia antes.

Quando fui vê-la, ela morava no campo. O sol iluminava seu rosto e ela usava passarinhos na lapela da camisa. Alguma coisa mudou na vida dela desde que alguém partiu seu coração e começaram a crescer flores na sua cabeça.
Ela me disse:

– Nos meus braços e nas minhas palavras, me sinto forte como acho que nenhum homem já foi.

Então nos despedimos com a sensação de que ela era agora a guardiã do seu próprio jardim.
As pessoas se aproximariam para ver suas flores e poderiam ficar se quisessem mas precisariam ir embora se não merecessem. Os médicos disseram que seu coração estava curado, mas as flores não parariam de crescer.
E ela me disse:

– Na minha vida e no meu coração, há uma vontade que nasce no quadril e cresce nos meus cabelos. E já não podem mais me dizer o que devo ser porque eu sou a senhora do meu jardim e não há nada que eu não possa fazer. Alguém machucou meu peito e isso fez eu perceber que eu poderia sobreviver a qualquer coisa. Isso fez eu me perceber.

Ela floriu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s