Não diga para os outros o que você não quer que seja dito para você.

Verdades sejam ditas, somos vulneráveis às palavras.
Estas são navalhas e não há como dizer o que nos vêm,
sem querer ferir alguém.
Não é que deva ser policiado, tão pouco evitado o exercício amargo
de expressar os âmagos desejados.
Não, se preciso for dispare, mas prepare amparo ao que ferir.
Nunca é demais um bom cuidado.
O que partido de nós possa ser só um detalhe,
o recebido no outro pode ser retalho, pedaço pequeno de um grande machucado.
Pequeno pedaço de um complexo, de um reflexo, indesejado, pisado, coisas feitas de se machucar.
E não o faça por besteira, não tenha como intenção a brincadeira.
Não se leva como piada, quem um dia pode levar a sério o que você precisa dizer.
E não se faz com os outros, o que você não quer que seja feito com você.

1 comentário

  1. Perfeitamente plausível, toam lá, dá cá, kkk! Muitas vezes o silêncio é o meu melhor companheiro do mundo inteiro, pena que muitos soltam suas verdades, sem se incomodar com o alheio, mas ainda bem que nada como um dia após o outro, para nos mostrar o quão temos de aprender que quem colhe vento colhe tempestade, e ter maturidade para saber que muitas vezes o resultado não vem a cavalo, nem de jegue, vem a jato, mesmo, kkk! bjs.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s